[google4ef896410eb5a6b5.html] [google4ef896410eb5a6b5.html] Proteções essenciais para adolescentes

PORTO ALEGRE / RS

Rua Silva Jardim, 408

Mont Serrat

Porto Alegre - RS

90450-070

 

+55 51 3061 4004

CAMPINAS / SP

Av. Sen. Antônio Lacerda Franco, 735
Jardim do Lago
Campinas – SP
13050-030

 

+55 19 3045 8500

  • Imunosul Vacinas Humanas
  • Imunosul Vacinas Humanas

Proteções essenciais para adolescentes

March 12, 2019

 

Para curtir a vida e desenvolver todas as suas capacidades é importante manter-se saudável. Por isso é fundamental que os adolescentes se protejam e tomem todas as vacinas recomendadas ao longo dessa fase.


Confira todas as proteções essenciais que os jovens devem tomar:


Vacina combinada Hepatite A e B: previne contra infecções do fígado - hepatites - causadas pelos vírus da hepatite A e hepatite B. A vacina é indicada para crianças a partir dos 12 meses, adolescentes e adultos. Além disso, é uma boa opção para pessoas que não foram vacinadas contra as duas hepatites. Para crianças a partir de 1 ano e adolescentes menores de 16 é recomendada duas doses com intervalo de seis meses. Para adolescentes a partir dos 16 anos, adultos e idosos é recomendada três doses, sendo a segunda aplicada um mês após a primeira, e a terceira, cinco meses após a segunda. Pessoas com indicação de dose dobrada da vacina hepatite B ou esquema de quatro doses, devem receber complementação com a vacina hepatite B.


Vacina contra a dengue: previne contra a infecção causada pelos quatro sorotipos de dengue: DEN1, DEN2, DEN3 e DEN4. A vacina está indicada para crianças a partir de 9 anos de idade, adolescentes e adultos até 45 anos. Além disso, é recomendada para indivíduos previamente infectados por um dos vírus da dengue - soropositivos com ou sem história da doença.


Vacina contra a Febre Amarela: previne contra a febre amarela. A vacina é indicada para crianças a partir de 9 meses de idade, adolescentes e adultos que vivem em regiões brasileiras classificadas como áreas de recomendação de vacinação, ou em viagem nacional/internacional de risco para a doença, ou com obrigatoriedade de comprovação da vacinação. Para esta vacina, recomenda-se uma dose única em crianças a partir dos 9 meses até adultos com 59 anos. Em situações de risco, idosos, gestantes e outros grupos de precaução devem ser vacinados, desde que não haja contraindicação.


Vacina contra a gripe (Influenza): previne contra a infecção causada pelo vírus Influenza - que causa a gripe. A vacina é indicada para todas as pessoas a partir de 6 meses de vida, principalmente aquelas de maior risco para infecções respiratórias, que podem ter complicações e a forma grave da doença. Para crianças de 6 meses a 9 anos de idade é recomendada duas doses na primeira vez em que forem vacinadas - primovacinação-, com intervalo de um mês e revacinação anual. Para crianças maiores de 9 anos, adolescentes, adultos e idosos é recomendada dose única anual. Já para menores de 3 anos, na dependência da bula do fabricante, o volume a ser aplicado em cada dose pode ser de 0,25 mL ou 0,5 mL.


Vacina contra Hepatite A: previne contra a Hepatite A. É indicada para todas as pessoas a partir de 12 meses de vida. O recomendado é tomar duas doses com intervalo de seis meses, no entanto, o Programa Nacional de Imunizações (PNI) alterou, em 2017, a faixa etária do esquema de dose única da vacina para crianças entre 15 meses e antes de completar 5 anos de idade. As sociedades brasileiras de Pediatria (SBP) e de Imunizações (SBIm) recomendam a aplicação rotineira aos 12 e 18 meses de idade, ou o mais cedo possível, quando a vacinação não ocorrer
nestas idades recomendadas.


Vacina contra Hepatite B: previne contra a infecção do fígado - hepatite - causada pelo vírus da hepatite B. A vacina é indicada para pessoas de todas as faixas etárias. Faz parte da rotina de vacinação das crianças, devendo ser aplicada, de preferência, nas primeiras 12-24 horas após o nascimento, para prevenir hepatite crônica. É importante lembrar que a vacina é especialmente indicada para gestantes não vacinadas.


Vacina HPV2: a vacina previne contra infecções persistentes e lesões pré-cancerosas causadas pelos tipos de HPV 16 e 18. É indicada para a prevenção do câncer de colo de útero e recomendada para meninas e mulheres a partir de 9 anos de idade. O esquema de dosagem da vacina é de duas ou três doses, dependendo da idade de início da vacinação. Para meninas de 11 meses e 29 dias e de 9 a 14 anos, são recomendadas duas doses, com intervalo de seis meses entre elas. A partir dos 15 anos, são recomendadas três doses: a segunda de um a dois meses após a primeira, e a terceira, seis meses após a primeira dose. É importante lembrar que independente da idade, meninas e mulheres imunodeprimidas por doença ou tratamento devem receber três doses: a segunda, um a dois meses após a primeira, e a terceira, seis meses após a primeira dose.


Vacina HPV4: previne contra infecções persistentes e lesões pré-cancerosas causadas pelos tipos de HPV 6,11,16,18. Também previne o câncer de colo do útero, da vulva, da vagina, do ânus e verrugas genitais. O Programa Nacional de Imunizações (PNI) disponibiliza a vacina para meninas de 9 a 14 anos de idade, meninas de 15 anos que já tenham tomado uma dose, meninos de 11 a 14 anos e para pessoas de 9 a 26 anos de ambos os sexos nas seguintes condições: convivendo com HIV/Aids, pacientes oncológicos em quimioterapia e/ou radioterapia, transplantados de órgãos sólidos ou de medula óssea. A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) e a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) recomendam a vacinação de meninas e mulheres de 9 a 45 anos de idade e meninos e jovens de 9 a 26 anos. Homens e mulheres em idades fora deste grupo, também podem ser beneficiados com a vacinação, de acordo com critério médico.


Vacina meningocócica B: previne contra meningites e infecções generalizadas - doenças meningocócicas - causadas pela bactéria meningococo do tipo B. Conforme recomendações das sociedades brasileiras de Pediatria (SBP) e Imunizações (SBIm), a vacina é indicada para crianças e adolescentes. Além disso, também é recomendada para adultos com até 50 anos - dependendo de risco epidemiológico-, para viajantes com destino às regiões onde há risco aumentado da doença e para pessoas de qualquer idade com doenças que aumentem o risco para a doença meningocócica.


Vacina meningocócica C conjugada: previne contra doenças causadas pelo meningococo C - incluindo meningite e meningococcemia. Para crianças, o Programa Nacional de Imunizações (PNI) disponibiliza três doses da vacina: aos 3 e 5 meses, com reforço aos 12 meses - podendo ser aplicado até os 4 anos. Já as sociedades brasileiras de Pediatria (SBP) e de Imunizações (SBIm) recomendam que, além dessas doses, sejam feitos reforços entre 5 e 6 e aos 11 anos de idade. Para adolescentes de 12 e 13 anos, o Programa Nacional de Imunizações (PNI) oferece dose única ou reforço, de acordo com a situação vacinal. As sociedades brasileiras de Pediatria (SBP) e Imunizações (SBIm) recomendam, para os não vacinados, duas doses com intervalo de cinco anos. Já para adultos e idosos, a vacina é recomendada dependendo da situação epidemiológica. Além disso, também é indicada para pessoas de qualquer idade com doenças que aumentem o risco para a doença meningocócica e para viajantes com destino às regiões onde há risco aumentado da doença.


Vacina meningocócica conjugada quadrivalente - ACWY: a vacina previne contra Meningites e infecções generalizadas - doenças meningocócicas - causadas pela bactéria meningococo dos tipos A, C, W e Y. Conforme recomendações das sociedades brasileiras de Pediatria (SBP) e Imunizações (SBIm), é indicada para crianças e adolescentes e para adultos e idosos, dependendo da situação epidemiológica. Além disso, também é recomendada para pessoas de qualquer idade com doenças que aumentem o risco para a doença meningocócica e para viajantes com destino às regiões onde há risco aumentado da doença. Para crianças, a vacinação deve iniciar aos 3 meses de idade com três doses no primeiro ano de vida e reforços aos 12 meses, 5 anos e 11 anos de idade. Para adolescentes que nunca receberam a vacina, são recomendadas duas doses com intervalo de cinco anos. Para adultos, dose única. Na impossibilidade de usar a vacina ACWY, deve-se utilizar a vacina meningocócica C conjugada.

 

Vacina tetraviral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela) - SCR-V: previne contra Sarampo, caxumba, rubéola e varicela. Esta vacina é recomendada para crianças e adolescentes com menos de 12 anos em substituição às vacinas tríplice viral (SCR) e varicela, quando a aplicação destas duas for coincidente. O Programa Nacional de Imunizações (PNI) adotou a vacina SCR-V para a aplicação da segunda dose da vacina SCR e dose única da vacina varicela. Para ser considerado protegido, todo indivíduo deve ter tomado duas doses na vida, com intervalo mínimo de um mês, aplicadas a partir dos 12 meses de idade. A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) recomendam duas doses da vacina, com intervalo de três meses: aos 12 meses e entre 15 e 24 meses de idade. Crianças mais velhas, adolescentes e adultos não vacinados ou sem comprovação de doses aplicadas devem tomar duas doses com intervalo de um mês. É importante lembrar que Indivíduos com história pregressa de sarampo, caxumba, rubéola e varicela - catapora - são considerados imunizados contra as doenças, mas é preciso certeza do diagnóstico. Na dúvida, recomenda-se
a vacinação.


Vacina tríplice bacteriana acelular do tipo adulto - dTpa: previne contra Difteria, tétano e coqueluche. A vacina é recomendada para reforço das vacinas DTPa ou DTPw em crianças a partir de 3 anos de idade, adolescentes e adultos, além de gestantes. Além disso, também é indicada para todas as pessoas que convivem com crianças menores de 2 anos, sobretudo bebês com menos de 1 ano, incluindo familiares, babás, cuidadores e profissionais da Saúde. Para crianças com mais de 7 anos, adolescentes e adultos que não tomaram ou não possuem registro de três doses de vacina contendo o toxoide tetânico anteriormente, recomenda-se uma
dose de dTpa seguida de duas ou três doses da dT. As gestantes devem receber uma dose de dTpa, a cada gestação, a partir da 20a semana de gestação. Se não vacinadas durante a gravidez, devem receber uma dose após o parto, o mais precocemente possível (de preferência ainda na maternidade).


Vacina tríplice bacteriana acelular do tipo adulto com poliomielite - dTpa-VIP: previne contra Difteria, tétano, coqueluche e poliomielite. É indicada para crianças a partir de 3 ou 4 anos de idade, adolescentes e adultos, para os reforços de seus esquemas de vacinação. A vacina pode substituir qualquer dose de dTpa. Em caso de viagens a locais de risco para a poliomielite, pode ser aplicada mesmo em pessoas que estejam em dia com a dTpa.


Vacina tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) - SCR: previne contra Sarampo, caxumba e rubéola. É indicada para crianças, adolescentes e adultos. Para ser considerado protegido, todo indivíduo deve ter tomado duas doses na vida, com intervalo mínimo de um mês, aplicadas a partir dos 12 meses de idade. Para crianças, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) recomendam como rotina duas doses: uma aos 12 meses e a segunda quando a criança tiver entre 1 ano e 3 meses e 2 anos de idade, junto com
a vacina varicela, Crianças mais velhas, adolescentes e adultos não vacinados ou sem comprovação de doses aplicadas é recomendado tomar duas doses com intervalo de um a dois meses. Pessoas com história pregressa de sarampo, caxumba e rubéola são considerados imunizados contra as doenças, mas é preciso certeza do diagnóstico. Na dúvida, recomenda-se a vacinação.

 

Vacina varicela: previne contra a Varicela (catapora). É recomendada de rotina para crianças a partir de 12 meses - excepcionalmente, em situações de surto, por exemplo, e, também, para crianças menores, a partir de 9 meses. Além disso, também é indicada para todas as crianças, adolescentes e adultos suscetíveis à catapora. A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e a Sociedade Brasileira de munizações (SBIm) recomendam duas doses da vacina varicela: a primeira aos 12 meses e a seguinte entre 15 e 24 meses de idade. Para crianças mais velhas, adolescentes e adultos suscetíveis são indicadas duas doses com intervalo de um a dois meses. Em situação de surto na região de moradia ou na creche/escola, ou ainda quando há um caso de varicela dentro de casa, a vacina pode ser aplicada em bebês a partir de 9 meses – essa dose aplicada antes de 12 meses será desconsiderada no futuro e a criança deverá tomar as duas doses de rotina, conforme já descrito aqui.


Fontes:


1. Família Sbim. Consultado em 28 de Fevereiro de 2019. Disponível em https://familia.sbim.org.br/seu-calendario/adolescente
2. Ministério da Saúde. Consultado em 28 de Fevereiro de 2019. Disponível em http://portalms.saude.gov.br/saude-para-voce/saude-do-adolescente-e-do-jov
em/caderneta-do-adolescente

 

Share on Facebook
Please reload

Posts Em Destaque

O sucesso da campanha de vacinação da sua empresa depende diretamente do engajamento dos colaboradores.

March 16, 2018

1/2
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo